© 2007-2012 Todos Direitos Reservados Termos Legais

Novidade: Nossos trabalhos na Universidade confira ... NEWS: Our works at University see more...

17 de out de 2010

Sobre Tolerância e Compaixão


Nos Dias das Crianças, dos Estudantes e dos Professores deste ano não escrevi nada de especial.
Talvez porque, simplesmente, mostrar trabalhos manuais com reaproveitamento de coisas, desta vez, não se mostrassem suficientes para demonstrar uma homenagem à altura.

Mas hoje, as vivências me vem a inspirar.
E presto aos nossos Pequenos, aos Adolescentes Estudantes e aos Mestres as devidas homenagens!

As palavras me vem, pelas experiências vividas e compartilho com você meu querido leitor!
E começo com um questionamento aos adultos:
O que vocês entendem por compaixão??
E por tolerância??


Bem, para mim, uma adulta, primeiramente, são conceitos, como muitos...
... que costumamos dizer, automaticamente: temos e respeitamos! ....
Mas, e no real significado, ou seja, na prática???
É realmente bem assim???
Somos realmente tolerantes? E temos compaixão (mercy para a língua inglesa)?
Pensem muito antes de responder!
Pois, infelizmente, em regra geral , observem bem , porque pelo menos na minha vivência, vejo que não!!!!!!!

É que, por algum motivo, só comprendemos o real significado destes conceitos em grande escala, quando falamos de guerras, preconceitos raciais, políticos, esportivos, religiosos e de classes.
Mas por algum outro motivo desconhecido, temos enorme dificuldade em enquadrar estes significados na simplicidade de nosso dia-a-dia (falando da realidade brasileira, que é a única que conheço)

Aqui temos altíssima tolerância e compaixão aos desfavorecidos, aos pobres, não somos racistas, aceitamos todas as religiões (mesmo que gostemos muiiiiiiito de alguma outra) e temos aversão a quaquer guerra (com a Graça de Deus), em suma, o preconceito como comumente entendido, está em extinção no Brasil.

No geral, recebemos na intimidade de nossas casas, diariamente, pessoas bem diferentes de nós: em raças , em convicções religiosas, que torcem para outros times esportivos, que votam para partidos políticos que não gostamos e que são de diferentes origens (e os amamos, verdadeiramente, e os respeitamos: é nosso dia-a dia!).

Alias, aqui é comum que na mesma familia e/ou lar, cada um tenha um time de esporte, vote em um candidato político diferente e pratique religiões diferentes .... (e tudo sem muitas discussões, com muita compreensão).

Reconhecer e, mais importante, aplicar, estes conceitos em grande escala, já é excelente! Parabéns a você que já os aplica! És muito mais sensível e maior que muitos!
Mas se já chegou lá, não achas que é pouco? Será que não podes ir mais além?

Explico: é que mesmo tendo superado tantas adversidades, de fato, não somos tolerantes e compassivos em pequena escala : nem com os nossos, então, muito menos com os outros!

Um exemplo simples é com os nossos:
Ao mesmo tempo que queremos que sejam corretos, dignos , etc, não os entendemos quando o realmente o são!!!
Isto é, se nossa criança ou adolescente, gosta muitode estudar e de se preocupar com idéias mais "maduras", etc, e não está muito interessado "na moda" que atualmente é estar em grupinhos escolares e gostar do que o grupinho gosta, como das festas e namoros e modas das roupas,
nesta situação, NÓS mesmos já achamos o nosso "diferente" e, às vezes, mesmo sem querer, vamos o forçando a ter uma atitude mais "normal" (gostar mais de passeios e festas do que dos estudos de fim-de-semana)!

Mas o que é isto??
E o respeito a individualidade, onde fica?

E vejam! Todos estes gostos (que não entendo como alguns pais acham "diferentes"), de fato, são extremamente positivos: estudar bastante, não gostar de festas e não estar interessado (ainda) em namoros, etc... .
Os adultos, não se dão conta de que respeitar estas preferências, além de ser um respeito a individualidade e a personalidade, é respeitar as marcas de um ser  nobre, mais refinado, que afloram em algumas crianças ou adolescentes desde muito cedo.
E que , também os estão deixando mais longe das drogas ( que são muito prejudiciais) e do sexo (que poderia ser precoce) .

Outro exemplo, de pouca compreensão e tolerância, é com os outros (os colegas e amigos dos pequenos):
Somos muito pouco tolerantes, com o que deixou de cumprir algo, como levar um tema da escola do filho ou se encarregou de juntar um dinheiro para algo da turma e não deu as contas, ...
Geralmente, o adulto, ao saber, já sai xingando e criticando, esquecendo que é um pequeno, tal qual seu próprio filho!
É um Ser em formação (como ele próprio foi um dia) e por isto muito mais vunerável as complexibilidades do mundo de decisões:
O que é certo? o que é errado? .
E este serzinho que esta se desenvolvendo, na maioria das vezes, faz coisas para "fazer gozação" como dizemos no Sul.
Ou, faz coisas equivocadas por falta de uma adequada informação, e depois, quando se dá conta do "erro" fica sem saber como consertar, com medo das críticas dos pais, dos colegas dos professores, etc. ...

Então acho que  são sempre válidos os ensinamentos de de Jean Paul Sartre, que disse "todos somos responsáveis por todos" e de Dostoievsky, "somos todos responsáveis por tudo, diante de todos" conceitos estes referendados por André Comte-Sponville, professor da Universadade de Paris, que define Bioética modernamente, e tem hoje, seus ensinamentos doutrinados pela UFRGS.

Conclusão:
Se os pequenos (crianças ou adolescentes), são todos pessoas em formação, muitas vezes, o que achamos "falha", na verdade , é demonstração de uma personalidade ímpar e superior que aflora precocemente.
Mas se, realmente a "falha" for um defeito ético, todos nós, pais, familiares, amigos, colegas, grupo escolar, somos responsáveis por compreender-lhe e indicar-lhe um caminho melhor.

Então, fica a dica:
Repensermos nossos conceitos de Compaixão e Tolerânceia para, de fato, os aplicarmos em pequínissima escala , no nosso dia-a-dia.

3 de out de 2010

Velas de Óleo de Cozinha Reciclado

postagem fotos, receita/passo a passo com todos direitos reservados:
http://mcn/BN5SC-MW6NA-QBVKX/
http://mcn/CHF1R-7QR3E-9HBET




Fiz estas velas com óleo de cozinha usado.
Criei a receita depois de muitos testes.
Fiquei meses tentando até conseguir este resultado.
Para fazer é bem fácil!


Material básico
- 1 porção de óleo de cozinha usado (1 part of old cooking oil)
- 1/3 de porção de estearina (1/3 part of stearin)
- pavio para velas (wick)
- pequenos frascos de vidro (small glass pot)



Como Fazer?

A MISTURA
- Coe bem o óleo para tirar os resíduos;
- Misture o óleo e a estearina e coloque numa vasilha própria para microondas;
- Leve ao microondas;
- Para uma pequena quantidade, leve ao tempo de 30 segundos, deslique , mexa e esquente por mais 30 segundos;
- Retire do microondas e verifique se esta tudo bem derretido: se estiver está pronta a mistura!
- Mas, se não estiver bem derretido, leve ao microondas por mais alguns segundos.
(MUITO CUIDADO PARA O LÍQUIDO NÃO FERVER, POIS É INFLAMÁVEL)

A VELA
- Separe o frasco de vidro escolhido e meça nele a altura do pavio, do fundo até a borda;
- Nesta medida, segure o pavio num prendedor de roupas;


- Retire o pavio do frasco;
- Derrame a mistura no frasquinho escolhido, somente até preencher a metade;
- Agora posisione o pavio, novamente, bem no centro, apoiando o prendedor de roupas nas bordas;
- Aguarde esfriar bem -+- 4 horas;
- Retire o prendedor de roupas com cuidado;
- Com uma tesoura, corte o pavio deixando uma sobra de +- 1cm aparit da vela;

A vela fica bem bonita, numa cor amarelo-dourada e está pronta para usar!


OPÇÃO PARA VELA PERFUMADA E COLORIDA
Se que velas coloridadas e/ou perfumadas, depois de pronta a mistura básica, acrescente corante para velas e ou o óleo perfumado para velas , à gosto.

CARACTERÍSTICAS
As velas que fiz ficaram bem bacanas.
Usei óleo de restaurante.
A consistência é levemente pastosa.
A vela queima muito lentamente, com uma chama bem constante.
E quando está queimando o vidro não esquenta muito.
Também, não solta cheiro desagradável (talvez a estearina altere o odor característico do óleo).
Conclusão: Velas de óleo de cozinha reciclado são uma boa opção e bem menos agressivas do que as velas tradicionais de parafina.


Dicas:
* CUIDADO PARA NÃO SE QUEIMAR;
* o vidrinho é obrigatório pois a consistencia não é muito dura;
* reutilize os vidros de alimentos, perfumes e cremes;
* use pavio de boa qualidade e grosso pois a vela demora muito para se consumir;
* o microondas pode ser substituido pelo fogão, em banho-maria;
* o corante para velas pode ser substituido por corante para alimentos em pó;
* ou o corante para velas pode ser substituido por um pedacinho de giz de cera na cor desejada a ser derretido desde o inicio da mistura;
* a estearina pode ser substituida pela mesma medida de vela de baixa qualidade bem picada, (pois geralmente velas de baixa qualidade tem grande quantidade de estearina);
* a essência perfumada oleosa para velas pode ser substituida por oleo para banho;

AGRADECIMENTO
Muitos tem copiado e publicado meu trabalho.
Agradeço a todos que o admiram
Mas não é correto copiar e publicar o que os outros criam
Isto esta na política do GOOGLE e do BLOGGER
Está lá escrito e sempre que tenho descoberto esta violação de direitos me reporto a eles e as cópias são excluidas imediatamente.(eles são bem eficientes e nisto os elogio)
No entanto, escrevo para agradecer a proprietária do PEGUEI NA REDE 
Ela se deu ao trabalho de fazer um estudo da evolução deste trabalho das velas que criei e publicou no seu bloque sem nenhum interesse.
Esta neste lique aqui http://pegueinarede.blogspot.com.br/2011/11/faca-velas-reutilizando-oleo-de-cozinha.html 


Obrigada amiga Silvana

Related Posts with Thumbnails

Ver mais ...

Neste espaço estão trabalhos manuais que faço nos momentos de lazer. São sugestões para reaproveitamento de materiais como tecidos, PET, BOPP, VHS, K7, CDs, DVDs plásticos, alumínios e outros ... O resultado são peças úteis, transformadas pelo artesanato. Também tem o espaço para as artes dos amigos: enviem coisas legais que compartilhamos aqui. :)

Obrigada pela visita!






Contribua para este projeto
 

©2007-2011 Modelo By FazendoArte